terça-feira, 25 de dezembro de 2012

"As Cinquenta Sombras de Grey" - E.L.James



  Raramente desisto de um livro. Mesmo quando o livro é um aborrecimento, esforço-me por tentar acabar, para poder dar uma hipótese ao autor de me surpreender; de fazer a minha opinião mudar. No entanto, à 178º página não aguentei mais deste “Cinquenta Sombras de Grey”.

  Apesar de todo o falatório, nunca expressei qualquer tipo de opinião sobre o “Livro do Ano”. Não tinha lido nem uma pequena parte do dito cujo, por isso não me sentia no direito de apontar qualquer tipo de falha, ou de concordar com alguma observação menos ou mais favorável. Agora já o posso fazer, mesmo não tendo conseguido terminar.

  A história é narrada na primeira pessoa sob a voz de uma finalista universitária (não sei bem de quê, mas algo relacionado com literatura) Anastasia Steele. Esta inexperiente e inocente rapariga de vinte e um anos decide ajudar a melhor amiga, substituindo-a numa entrevista ao famoso magnata Mr.Grey. Apesar de famoso, Anastasia não sabe nada sobre ele e, esperando encontrar um velho feio e mal-encarado, surpreende-se ao ter pela frente um formoso Adónis. (Logo nesta parte achei ridículo como é que Anastasia ao sair do escritório o trata pelo nome próprio, se supostamente não sabia nada sobre o sujeito super famoso.)


  Depois segue-se uma interminável e típica história cliché de “rapariga inocente apaixona-se por homem rico, bonito e enigmático, que inexplicavelmente também fica interessado nela”. Há também o extremamente batido caso do melhor amigo, José, apaixonado por Anastasia, incapaz de se declarar, que ao vê-la com o misterioso homem fica ciumento e decide investir de forma desesperada. 

  Resumindo…uma série de casos cliché. Depois finalmente há a revelação do segredo de Mr.Grey: ele tem um quarto super secreto com objectos de tortura que usa para actividades sexuais e que quer usar com Anastasia, que advinhem!? É VIRGEM! Nada, mesmo nada cliché!

  Depois há cenas e mais cenas de sexo em que a autora se refere à vagina através de expressões como “tocar ”. A sério? O livro tem um sadomasoquista como personagem principal e um quarto de instrumentos de tortura para actividades sexuais, mas é impensável usar a palavra vagina! Sim, há que salvaguardar qualquer tipo de sensibilidade ferida! E vagina é uma palavra tão feia! Shame on me por ter uma! E shame na Anastasia por também ter uma!

  Eu até estava disposta a acabar o livro, se a autora parasse de dizer “estou a sentir a minha Deusa interior a rugir” e coisas do género. Como é que uma rapariga que é virgem e nunca se masturbou, ou fez algo mais do que dar um beijinho na boca de um menino, fala da sua deusa interior?! Simplesmente não encaixa na personagem. 

  Foram estas incongruências, que me fizeram desistir. Este ano propus-me a ler coisas mais interessantes e com mais conteúdo. Quando quiser algo deste género posso ver um filme pornográfico. Há aqueles no "Redtube" que demoram só dez minutos. Não preciso de gastar horas da minha vida a ler livros eróticos. 

  No fim o que mais me irrita não é o tempo perdido, mas antes o saber que há tanta, mas tanta gente que adora esta trilogia. Todos temos gostos diferentes, mas há tantos autores que todos os anos apresentam livros tão mais ricos e com muito mais conteúdo; que tem ideias novas, que nos apresentam mundos paralelos, ou novas visões do mesmo mundo e que simplesmente não tem a mesma atenção porque não são tão mediatizados. São escritores que exigem atenção, que nos querem mostrar algo, que não se entregam ao fácil. E cada vez mais as pessoas querem o fácil e o imediato. Podia culpar as editoras, mas elas limitam-se a dar aquilo que o consumidor quer, e é triste ter a noção de que é isto que o consumidor quer.  

---


  I rarely give up on a book. Even when the book is a hassle, I put my effort in finishing it, to give the author a chance to surprise me; to change my opinion. However, at the 178th page i simply couldn't take more of this "Fifty Shades of Grey."
   Despite all the hype, I never expressed any opinion about the "Book of the Year." I hadn't read even a small part of the so called, so I didn't feel entitled to point out any type of flaw or agree with any compliment. Now I can do it, even though I failed to finish it.
   The story is narrated in the first person in the voice of a university finalist (not sure from which degree, but something related to literature) Anastasia Steele. This twentyish, inexperienced and innocent girl decides to help her best friend, replacing her in an interview to the famous tycoon Mr.Grey. Although famous, Anastasia knows nothing about him and, expecting to find old, ugly and mean-looking man, she's surprised to have ahead of her a beautiful Adonis (I wonder why, as she leaves the room and treats him by his first name, how did she knew his first name was Christian).
   After this the story continues with endless “clichés” and the typical story of "innocent girl falls for rich, handsome and enigmatic man, who inexplicably is also interested in her." There is also the usual case of the girl’s best friend in love, unable to declare himself to Anastasia, that, when confronted with her interest in the mysterious man gets all jealous and decides to try his luck in a desperate way.
   In short ... a series of classic clichés. Then, finally, there’s the revelation of the secret of Mr.Grey: he has a super secret bedroom with objects that he uses to torture women during his sexual activities and he wants to use them with Anastasia, who, guess what!? It’s a VIRGIN! Nothing at all a cliché!
   Then there are more and more sex scenes in which the author refers to Anastasia’a vagina through expressions such as the word "there". Really? The book has a sadomasochistic as a main character and a room of torture for sexual activities, but it is unthinkable to use the word vagina! Yes, we must safeguard any sensitive wounded! And a word like “vagina” it’s so ugly! Shame on me for having one! And shame on Anastasia for also having one!
   I confess! I was willing to finish the book, if just the author would stop saying "I'm feeling my inner Goddess roaring!" and other quotes that have de “inner Goddess” in it. How does a girl who is a virgin and has never masturbated herself, or did something more than to give a little kiss on the mouth to a boy, talks about her inner goddess?! It just does not fit the character.
   These were inconsistencies that made me quit the book. This year I proposed myself to read things more interesting and with more content than this. When I want something like this I can always see a pornographic movie. There are those in the "Redtube" that take only ten minutes. I don’t need to spend hours of my life reading erotic books.
   In the end what irritates me the most is not the time that I lose, but knowing that there are so many people who love this trilogy. We all have different tastes, but there are many authors who publish books every with a rich content; books that bring new ideas, that present us parallel worlds, or new visions of or world and they simply don’t have the same attention because they aren’t as mediated as this books with sex are. They are writers that require attention, who want to show something that is not easy to deliver. And increasingly people want what’s easy and immediate. I could blame the publishers, but they merely give what the consumer requests, and it is sad to have the notion that this is what the consumer wants.

5 comentários:

disse...

acabei de ler o último da saga que a propósito é toda ela ridícula, e ri muito com a tua menção à deusa interior. epá, escapou-me falar dessa nas críticas que fiz. precioso. ah ah ah.

Alu disse...

Olá pê!
Como conseguiste terminar?! lol
A deusa interior dela continua a crescer e transforma-se numa criança? XD

Pituxa disse...

Oh Deus meu, dai-me força! Acabei de receber no Natal o segundo (oferecido pelo namorado) e o terceiro (oferecido pela sogra) para me fazerem comprar o primeiro que estava muito indecisa para comprar devidos às péssimas críticas que já li. Mas vou ter mesmo que o comprar e ler... Não vou deixar o 2º e 3º volume parados e assim posso eu mesmo fazer a minha crítica. Além de que o que é mau para uns pode ser o melhor do mundo para outros (isto é a minha esperança a falar). Obrigado pela partilha de opinião :)

Alu disse...

Exactamente. Lol Força! Embora eu não tenha gostado, não quer dizer que nao possas gostar, quanto mais não seja pelo engraçado de ser mau.

;)

Obg pela visita! ^^

Fadinha disse...

Tenho curiosidade de ler. Só conheço quem tenha adorado ou quem tenha detestado...